• Dune

    Dune

    ★★★★

    A versão de Villeneuve não só é um espetáculo visual como também traz uma bela introdução à jornada de Paul Atreides. O drama e a ação estão em perfeito equilíbrio, e isso faz com que a narrativa não se perca ou confunda os não familiarizados com a trama central. A política, os deveres, a fantasia, as traições e as possibilidades se mesclam muito bem nessa versão. O novo Duna conta a história de Atreides de forma acessível, mas sem nunca perder sua elegância ou potência. E é claro que a trilha de Hans Zimmer só eleva absolutamente toda a experiência.

  • No Time to Die

    No Time to Die

    ★★★★

    Mais vulnerável, o protagonista apresenta um resultado excepcional nos embates corpo a corpo (que ganham força com a direção de Fukunaga), não abre mão do sarcasmo e, o mais interessante nessa despedida: mostra-se mais aberto a lidar com seus sentimentos.

    O roteiro de 007 - Sem Tempo para Morrer também acompanha esse processo - por mais que o texto traga grandes ameaças como conflito e dê atenção a personagens secundários, ele ressalta a trama individual de Bond acima de qualquer…

  • The Suicide Squad

    The Suicide Squad

    ★★★½

    Uma verdadeira miscelânea dentro do gênero de heróis (ou, neste caso, anti-heróis), o filme entrega uma experiência tão divertida quanto inesperada e faz com que a versão homônima, lançada em 2016 e alvo de críticas, fique mesmo no passado.

    Honrando o significado do título, a equipe formada por pessoas fora da lei sabe que não está 100% protegida e que pode perder integrantes a qualquer momento — sendo esse o elemento responsável por conceder um raro senso de urgência e dinamismo à narrativa.

    vejasp.abril.com.br/blog/filmes-e-series/o-esquadrao-suicida-acao/

  • The Mauritanian

    The Mauritanian

    ★★★

    O Mauritano possui uma estrutura convencional, mas a força da trama se encontra nos recortes reais que escolhe abordar. Ao se aprofundar na rotina desesperadora e sem escapatória de Slahi, a narrativa extrai uma ótima atuação de Rahim. A figura que interpreta fez questão de reclamar sua inocência aos seus opressores — ao mesmo tempo que nunca demonstrou sede de vingança. Um relato de horror sobre os efeitos colaterais que a tentativa promovida pelos EUA de combate ao terrorismo criou.

    vejasp.abril.com.br/blog/filmes-e-series/o-mauritano-11-de-setembro/

  • The Voyeurs

    The Voyeurs

    ★★

    Xóvens interpretam (bem mal) personagens que, em teoria, são adultos. Aí já é demais.

  • Those Who Wish Me Dead

    Those Who Wish Me Dead

    ★★★½

    Angelina Jolie com uma machadinha me lembrou do seu tempo como Lara Croft. E era só isso que eu precisava mesmo.

  • Nomadland

    Nomadland

    ★★★★★

    É muito bonito como Chloé Zhao apresenta sua protagonista, Fern, como uma parte fixa de todos os cenários externos. Ela combina muito com a natureza, a liberdade. E para observar isso não é obrigatório saber muito de seu passado logo à primeira vista. Por isso é tão estranho (inquietante, até) observarmos a personagem quando em ambientes fechados. Em Nomadland, uma casa não tem o mesmo significado de sempre, mas isso também não diminui o valor que ela tem para as…

  • Another Round

    Another Round

    ★★★½

    Novamente, Mads Mikkelsen brilha com uma atuação que prioriza muito mais seus olhares e expressão corporal do que as falas em si, o que resulta em uma performance contida, mas que representa alguém que está pedindo por socorro em silêncio. A evolução e soltura de Martin é explícita na cena final de Druk, mas toda a jornada de autoconhecimento e reflexões que nasce de seu hábito de beber também é interessante de se acompanhar. O resultado da "brincadeira" que envolve álcool não é o esperado pelos personagens, mas o senso de libertação que nasce em suas mentes é visível.

    www.adorocinema.com/filmes/filme-275050/criticas-adorocinema/

  • The Father

    The Father

    ★★★★

    Contando com ótimas atuações de Anthony Hopkins e Olivia Colman, o filme se propõe a entregar uma experiência muito pessoal e aflitiva ao espectador. Ao utilizar o ponto de vista do idoso Anthony (Hopkins, com uma presença em cena avassaladora), que sofre com problemas de velhice, todos os desdobramentos apresentados ao longo da narrativa são uma surpresa para os personagens em cena e para nós enquanto público. Zeller, que também é o autor da peça Le Père, que originou o…

  • Judas and the Black Messiah

    Judas and the Black Messiah

    ★★★★

    Por mais protocolar que seja o estilo de King ao narrar esta história real, Judas e o Messias Negro conta com uma direção segura, que destaca o talento do elenco, e um roteiro que flui a partir da ação dos Panteras Negras e a reação do FBI. Isso faz com o que filme ganhe os contornos da perseguição violenta e silenciosa que permeou por um tempo até culminar no assassinato de Hampton. Aliado à caçada entre "gato e rato" que…

  • Yes, God, Yes

    Yes, God, Yes

    ★★★

    O filme não perde seu tom cômico com as críticas que se escondem em meio à atmosfera de uma produção coming of age (estilo de filme que aborda as mudanças na adolescência). Natalia Dyer entrega uma performance carismática, cujo desenvolvimento fica bastante claro quando comparamos como Alice era no início do filme e como ela encerra (ou começa) sua história. Sua convicção e amor próprio tardam a aparecer, mas o trajeto até a garota apreciar de verdade suas vontades íntimas é cômico e real na medida certa.

    www.adorocinema.com/filmes/filme-263494/criticas-adorocinema/

  • Host

    Host

    ★★★½

    Apesar de não dar atenção a pontos das personagens que poderiam trazer mais camadas e de não ser um filme que cria um novo tipo de narrativa (Amizade Desfeita e Buscando são bons exemplos similares), Host entrega uma experiência divertida e amedrontadora. Os leves alívios cômicos por parte do único personagem masculino do elenco se equilibram bem com os sustos agressivos que surgem sem o menor aviso prévio. Ainda que os minutos finais da chamada se rendam a confrontos de último ato já esperados, o restante consegue se encontrar num patamar misterioso demais para deixar de se acompanhar.

    www.adorocinema.com/filmes/filme-285804/criticas-adorocinema/