Monster Hunter

Monster Hunter ½

Entre a pré de The Final Chapter e a pós de Monster Hunter, o casal que entregou os melhores filmes de aventura dos últimos anos deve ter visto muito, mas muito George Miller. Com isso aprenderam a perverter o andamento do plano, a resumir a ação e indefinir a imagem com truques digitais e movimentos hiperativos, a disfarçar a ausência de caracterização com falso hermetismo, a confundir aceleração com ritmo e espetáculo com barulheira generalizada. Eu só gostaria que dessem alguns passos pra trás, até uma era mais simples em que as set pieces ainda eram cenas, os cortes tinham propósito e a ficção despertava algum interesse, meu e principalmente deles.