Christofer has written 19 reviews for films during 2020.

  • Alice Júnior

    Alice Júnior

    "É o filme da Kéfera? Caralho, esse trailer parece que tem uma hora e meia." - Pilula

    E fica pior. Como o último hit do audiovisual supostamente brasileiro (e os pobres antiparanaenses, perdidos numa terra bárbara, fazem questão de prestar tributo aos evoluídos recifenses), parece que o produto serve para anunciar suas redes sociais, e não o contrário. É deliberadamente e orgulhosamente "construído" por elas, e o resultado é tão amorfo quanto isso dá a entender. Escrito para engajar com…

  • Republic

    Republic

    Como vocês caem nessas lorotas?

    O Brasil eu não sei, mas o agente cultural do mundo quer enganar e se enganar sempre.

  • Intolerance: Love's Struggle Throughout the Ages

    Intolerance: Love's Struggle Throughout the Ages

    Diantes das "mensagens e "lições" expostas, mesmo diante de suas próprias no final dos filmes, Griffith é, do ponto de vista estético, extremamente agudo e malicioso com as auréolas, os bandos de anjos e os coros de aleluia. Aqueles que desejam, em vez de análise esteticamente cuidadosa, regras de higiene social comunicativa transformada em imagens otimistas, tais meios alienantes iriam cair bem.

    ---

    Griffith tenta captar o estereótipo e ao mesmo tempo dissolvê-lo, na medida em que quebra as ações…

  • Spontaneous Combustion

    Spontaneous Combustion

    ★★★★★

    For there was need once more of a Divine Revelation to the torpid frivolous children of men, if they were not to sink altogether into the ape condition. And in that whirlwind of the Universe, - lights obliterated, and the torn wrecks of Earth and Hell hurled aloft into the Empyrean; black whirlwind, which made even apes serious, and drove most of them mad, - there was, to men, a voice audible; voice from the heart of things once more,…

  • Kickboxer 4: The Aggressor

    Kickboxer 4: The Aggressor

    Kickboxer - final dos anos 80. Um belga perde o irmão e seu lado americano mas resgata sua alma quando encontra o amor, a amizade e a beleza nas profundezas da Tailândia. Depois que Tong Po e a honra do submundo tailandês vão pro saco, cineastas locais no saco dos pais sonham em aprofundar no que restou: nada. A moral da vingança.

    Kickboxer 2 - início dos anos 90. Um havaiano criado no Japão vai ao coração dos EUA resgatar…

  • Kickboxer 3: The Art of War

    Kickboxer 3: The Art of War

    ★★★

    Algum herói do cinema brasileiro ficou atiçado com um espetinho de gato depois de pisar em peita de flamenguista porque perseguia piá pilantra nas vielas da favela? Algum enfiou o cacete na bateria salgueirense, em banqueiro, em cafetão, em argentino e em traficante? Quantos filosofaram para traficantes mais amigáveis sobre a guerra enquanto negociavam um canela seca? E sobre a malandragem com o polícia pilantra Milton Gonçalves depois do homem sumir com a arma e limpar a cena do crime,…

  • Everybody Wants Some!!

    Everybody Wants Some!!

    plotlessness is the new plot



    plotlessness is the new pot



    potlessness is the new plot

  • I

    I

    Cinema erótico existencial para quem não tem saco pra Ingmar Bergman nem pra Joseph Sarno. Khouri é um caso único no cinema brasileiro antes dos anos 90 (e depois vira a regra, na desgraça que vemos por aí): odeia a simplicidade, a humildade, o humor e não sabe relaxar nem por um instante, por isso aproveita tão mal os atores e técnicos da Boca, acostumados a uma liberdade que o Khouri combate com todas as forças, diluindo os gestos em…

  • Glass

    Glass

    ★★★★

    This is the moment we are let in on the universe.

    #blacklivesmatter

  • Encounter

    Encounter

    ★★★★

    Dos três herméticos títulos, o melhor. Das premissas de uma linha, a mais direta, reduzida a uma palavra. Produção de bando, de amigos abertos à experiência e aos desafios do real, pois pretende mergulhar em mistérios latentes, em espaços reais, quase num tempo real.

    Flores, contraponto austero à clausura composicional de Maria José. Se dissipam as linhas predefinidas, os sistemas sufocantes e com eles todas as farsas que a indústria aidsvisual confunde com construção. O desprendimento que foi laboriosamente aprendido…

  • Flowers

    Flowers

    ★★★★

    A coadjuvante Marina vira a estrela, força motora do cinema. Uma força natural, indomável, que a câmera persegue, observa, enquadra, procura um controle do qual desiste quando descobre na própria jornada seu sentido de ser. Finalmente, uma produção livre. Pois a descoberta é o próprio sentido do ofício.

    Ouvi um pastor dizer um dia: “Tudo do que preciso eu já tenho à mão!” E Flores é um desses raros filmes que desbravam com as mãos, vê com elas, cria com…

  • Maria José

    Maria José

    Em Maria José se esboçava a tensão cabal de atração e repulsão dentro dos planos, um movimento impreciso em busca de “algo” que não se encontra, algo que pode estar presente e é sugerido, mas nunca sentido. Algo chama os olhos da menina Maria, recônditos como o alvo de sua confusa busca, forçando-na a preencher um espaço e esvaziá-lo bruscamente. Algo menos vago seduz José, incapaz de lidar com a impérvia distância da menina que busca.

    O trabalho ainda é…