Christofer has written 4 reviews for films rated ★★★★★ during 2021.

  • Shocker

    Shocker

    ★★★★★

    Where the automatism increases to the point of approaching perfection such as in America — the panic is even further intensified. There it finds its best feeding grounds; and it is propagated through networks that operate at the speed of light. The need to hear the news several times a day is already a sign of fear; the imagination grows and paralyzes itself in a rising vortex. The myriad antennae rising above our megacities resemble hairs standing on end — they provoke demonic contacts.

    - Ernst Jünger, "The Forest Passage".

  • O Canto da Saudade

    O Canto da Saudade

    ★★★★★

    Mais um texto publicado no Videodrome como material de apoio para o curso online Constelações do Cinema Brasileiro (1898-1992).

    "FIGURAS E GESTOS"
    Décima quarta palestra

    Senhores ouvintes, boa noite.

    No livro de Stephen Watts, The Film Technics, há um artigo sobre A Música na Tela, que merece ser comentado e divulgado.

    A música, que exerce grande influência na sensibilidade do público, sempre contribui para o sucesso dos filmes, quando naturalmente é feita de acordo com as passagens da história, seja…

  • The Mangler

    The Mangler

    ★★★★★

    A partir de duas conversas despretensiosas gravadas há mais de 1 ano, estamos lançando o novo episódio do Debate Soberano, que aborda uma pequena parte da enorme obra de Tobe Hooper.

    A demora pra postagem vinha do receio que o tema era grande demais pra esta breve conversa, pros poucos pontos que conseguimos tocar nestas 2 horas. Mas com a quantia de coisas ruins que têm saído a respeito do diretor texano, achamos que a tentativa ainda valia a pena…

  • Hairpin Circus

    Hairpin Circus

    ★★★★★

    Um filme sobre o tesão inexplicável de um escape estourando na noite solitária, a trilha perfeita duma viagem sem destino, engolindo a poluição urbana que, pelo contraste barroco, se acalma. Faz o tempo eterno, dia e noite, ontem e hoje, dinâmico e tranquilo, paradisíaco e infernal. São as mais diversas luzes atravessando o para-brisa que diluem a realidade, como a chuva que impede a visão plena do que está em frente. O espaço é recomposto e as cores borradas sobressaem na paisagem onde as faces estão sempre sombreadas, recônditas, perplexas, e só se encontram pelo reflexo de um retrovisor, numa ameaça silenciosa.