Favorite films

  • Yi Yi
  • A Separation
  • Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb
  • Vertigo

Recent activity

All
  • The Beatles: Get Back

    ★★★★½

  • Eternals

    ★★½

  • Muhammad Ali

    ★★★★½

  • The Night House

    ★★★

Recent reviews

More
  • Eternals

    Eternals

    ★★½

    Sem querer fazer um comentário debochado, mas o Jorge Ben tratou do tema com mais profundidade e poesia na música 'Frases':

    "Há seis mil anos o homem vive feliz
    Fazendo guerra e asneiras
    Há seis mil anos Deus perde o tempo
    Fazendo flores e estrelas
    Há seis mil anos Deus perde tempo
    Fazendo flores e estrelas
    Olha o menino, ui
    Olha o menino, ui, ui, ui
    Olha o menino, ui
    Olha o menino, ui, ui, ui
    Eu sou um homem sincero
    Porque nasci, cresci e vivo livre
    Eu sou um homem sincero
    Que quero morrer, nascer e viver livre"

    E teja dito!

  • Terrorizers

    Terrorizers

    ★★★★

    Os filmes do Yang me são indecifráveis, e não só por conta da barreira cultural ou pelos começos lentos e meio opacos. Mas sei que, como uma cobra constritora, eles vão me envolvendo, envolvendo, envolvendo até que, sem me dar conta, estou entregue, pronto pra ser arrebatado no ato final.

Popular reviews

More
  • Ringu

    Ringu

    ★★★

    Continua sendo um dos melhores filmes de horror tecnológico das últimas décadas. E acho que faz isso através de um ângulo bastante próprio; 'Ringu' não intelectualiza os efeitos da tecnologia como no caso de 'Kairo', não os usa como ferramenta para observação e registro de terrores antes invisíveis ('Bruxa de Blair' e 'Atividade Paranormal' são dois exemplos) e nem transforma as invenções em vilãs, como em 'Chuck' (o que fica bem evidente no remake recente da história do boneco assassino).…

  • Metropolitan

    Metropolitan

    ★★★★

    O bom desse tipo de filme é que me permite achar patético, pequenino e trágico o tipo de pessoa que nunca olharia na minha cara. A passagem do tempo também ajuda: se já era démodé em 1990, a aristocracia urbana é irrelevante em 2020. É quase como assistir a um filme baseado em um livro da Jane Austen: só é charmoso porque o mundo que ele representa já acabou. Não devia ter graça pros serviçais de peruca que serviam de…