Divine Love ★★

Certo momento o pastor do drive thru fala com Joana, a protagonista do filme, que “os sinais estão em todo lugar”. Para Gabriel Mascaro estão em todo lugar mesmo, e tudo portanto pode virar alguma metáfora explícita e redudante de um Estado que castra ou domestica os desejos dos corpos que filma. E ai é só plano da Dira Paes olhando água, se molhando, indo em direção aos esguichos na grama, para preparar simbolicamente as cenas de sexo, tudo seguro e reduzido para o consumo confortável de alguém que se coloca acima da suposta banalidade religiosa. A exacerbação do Estado totalitário religioso, pontuado à exaustão pela intrusiva e reiterativa narração em off, se contenta à ironia simplória que critica os meandros do fanatismo da fé da distância segura da eficiência técnica do simbolismo - a oração express, o culto de corpos que mais parece workshop de atuação, as explicações textuais do que representa burocracia e privilégio.

Junto ao elenco, que Mascaro sabe escolher muito bem, construção de mundo desse futuro acaba por ser o mais interessante no filme, as cores neon perpassando entre o kitsch e o estiloso, a trilha pontual, a sutileza na presença de produtos chineses (o carro da Jac, a bomba hormonal), os detectores de gravidez - mesmo que tudo esteja a serviço da tese, limitando as representações da diegese em fatores a serem interpretados sob o ponto de vista da protagonista. A escala de mundo que as imagens da rave gospel passam nunca é consumada, e a estrutura acaba por se resumir à climão de casais hétero tendo suas representações arquetípicas testadas. Quando no final certo personagem se diz livre por não ter um nome, apesar de receber pela própria premissa o peso de salvador profético, fica evidente o que Boi Neon, Um Lugar ao Sol e Doméstica já diziam nas suas imagens de julgamento: aqui está um exemplo de encenação cujas verdades estão reduzidas ao símbolo de primeira mão, onde o poder da dialética é domado, e portanto um acaso que surpreenda ou questões que desafiem não são bem-vindas às imagens.