The Empty Man ★★★★½

"We transmit. You receive."

The Empty Man é, sem dúvida nenhuma, até agora, a melhor surpresa deste ano. Não havia assistido a trailer algum e mal li sua sinopse, então mergulhei nele sem quaisquer expectativas - boas ou ruins. E o que começa quase como uma creepypasta sobre aquelas tão famosas entidades que povoam as lendas urbanas se torna, gradualmente, um terror cujas nuances e complexidades conseguem escapar, por vezes, à compreensão - o que não é, ao contrário do que se pode pensar, demérito algum da obra. A propósito, nem mesmo algumas (pequenas) incoerências ao longo de seus 137 minutos diminuem a execução única do que é visto na tela.
David Prior habilmente combina o macabro ao cósmico em um suspense investigativo marcado por uma trilha sonora impecável e uma edição primorosa. O medo, aqui, não se sustenta em jumpscares (que fazem, a propósito, muito pouco parte da narrativa), mas na jornada e nas descobertas assombrosas do protagonista, que tornam The Empty Man um filme que merece atenção.

P.S.: A sequência no Acampamento Elsewhere é uma das mais formidavelmente arrepiantes e bem produzidas que já vi há tempos em um filme do gênero.