Once Upon a Time… in Hollywood ★★★★½

Tem um elemento da poética do Tarantino que parece com o filme The Last Action Hero do John McTiernan: personagens de cinema caindo de paraquedas no mundo real. Eles saem da tela e vão comer hambúrguer, passear no shopping, andar de moto em Tokyo. Tem sempre um elemento de contraste, uma dissonância (um surrealismo, como diria Pierre Rissient). O caso, pra mim, mais bem acabado disso é o terço final de Death Proof: Tarantino filmando um live action do Coiote e Papaléguas ao mesmo tempo que atribui aquele peso todo às paisagens, à poeira, aos trancos dos carros. Once Upon a Time in Hollywood tem algo diferente. Os personagens não parecem deslocados do mundo onde vivem. O filme se embrenha com eles no mundo deles -- à la Hawks --, sem pressa, deslizando como se mudasse de estações de rádio sem precisar haver uma linha principal, sempre testando e descobrindo algo -- à la Edwards. Tem coisa ali.

Matheus liked this review