• Blood Simple

    Blood Simple

    ★★★★★

    Quando se resume a alguém a história de Sangue por Sangue, o primeiro filme dos Irmãos Coen, a sensação é que já vimos aquela narrativa muitas, muitas vezes. OK. Há uma mulher fatal. Há o amante dela. Há o marido dela. Há um detective privado. E há sangue. Não é preciso ser um génio para decifrar, mais ou menos, tudo aquilo que vai acontecer.

    Então como é que este filme consegue ser tão original?

    Feito em 1984, Blood Simple estreava…

  • Purple Rain

    Purple Rain

    ★★★★★

    Há um episódio de Ficheiros Secretos em que Mulder e Scully estão a debater um fenómeno estranho que envolve a chuva de substâncias estranhas que podem assumir várias cores. Basicamente, quando Scully questiona Mulder sobre uma eventual chuva púrpura, Mulder responde, espirituoso: “Grande álbum, filme profundamente falhado”.

    Quer dizer: sim, e não, caro agente Fox Mulder. Pode um filme com falhas, ainda assim ser um filme da vida de alguém? Eu acredito que sim. Acredito que a maneira como um filme…

  • The Evil Dead

    The Evil Dead

    ★★★★★

    Uma parte considerável dos filmes da minha vida, conheci-os através da televisão. E durante algum tempo, foi assim com os filmes de terror - género do qual sou grande fã. Embora, nos meus verdes anos, o terror me assustasse como o raio. Eu tremia de medo do videoclip de Thriller, de Michael Jackson, com as transformações em lobisomens e em zombies. Mas, vistas bem as coisas, uma pessoa assustar-se com filmes de terror... - é um bocado essa a ideia,…

  • Blade Runner

    Blade Runner

    ★★★★★

    Não vi Blade Runner em 1982, quando estreou no Cinema. Lembro-me do spot na televisão, com a voz inconfundível do João David Nunes, e de ver o icónico cartaz do filme, com um gigantesco Harrison Ford de pistola em punho no meio de arranha-céus iluminados e carros voadores, a forrar as fachadas de alguns dos grandes cinemas de Lisboa.

    Mas a verdade é que em 82, eu era mais Star Wars. Claro que um filme interpretado pelo tipo que fazia de…

  • Batman

    Batman

    ★★★★★

    Foi qualquer coisa, o Verão de 89. Para os americanos, porque foi nesse Verão que estreou Batman. Para europeus como nós, porque foi nesse Verão que se falou sobre Batman. 

    O filme só chegaria cá no Outono, mas a Batmania durou meses. No meu caso, começou com uma notícia, lida num jornal, sobre o facto de Prince fazer a banda sonora. Fã devoto de Prince há pouco tempo, cortesia de um colega de escola que me emprestou obras-primas como Purple…

  • The Third Man

    The Third Man

    ★★★★★

    Cada vez é mais difícil convencer pessoas - sobretudo pessoas de gerações mais novas - a ver filmes antigos. Mais difícil ainda quando são filmes antigos a preto-e-branco. É como se a antiguidade e a falta de cores provocasse uma muralha intransponível. E isso é uma pena, porque à conta desse preconceito muita gente passa ao lado de descobrir filmes que, feitos há 70 anos, conseguem ser mais divertidos e empolgantes do que muitos filmes feitos hoje, cheios de cores…

  • Scott Pilgrim vs. the World

    Scott Pilgrim vs. the World

    ★★★★★

    Ao terceiro episódio desta rubrica, damos um salto no tempo. Os filmes que formam uma vida não precisam de estar todos num passado distante. Numa altura em que é cliché dizer que já tudo foi inventado, não há melhor sensação do que uma pessoa ser surpreendida por um filme que ousa ser novo. E com 10 anos de existência, a verdade é que continua novo. O filme da minha vida de hoje é de 2010. Chama-se Scott Pilgrim Contra o…

  • Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb

    Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb

    ★★★★★

    Durante muitos anos da minha infância, Peter Sellers foi, para mim, o Inspector Clouseau. E o inspector Clouseau, para mim, era quase uma religião. Os filmes da Pantera Cor-de-Rosa eram caos cómico criado como se fosse ourivesaria por um dos grandes mestres da comédia, Blake Edwards.
    Cresci por isso a ver e a rever os filmes da saga Pink Panther (o meu favorito, já agora, é Um Tiro no Escuro). E quando, num fim de semana de Verão da minha…

  • After Hours

    After Hours

    ★★★★★

    É muito fácil e preguiçoso cascar nos críticos de cinema - mas a verdade é que foi uma crítica numa revista que despertou o meu amor pelos filmes. Corria o ano de 1986. No Cartaz do Expresso, o suplemento de cultura desse semanário, um texto assinalava o lançamento de Nova Iorque Fora-de-Horas, de Martin Scorsese, em vídeo. Em VHS. Edição Warner Home Video / Kodak.

    O texto, de Jorge Leitão Ramos, era uma pequena lição sobre como ver um filme.…