RSS feed for Pedro
  • Living in Oblivion

    Living in Oblivion

    ★★★★★

    É impressionante como, se deixar, as pessoas (eu incluso) perdem muitas pérolas esquecidas, obras de quaisquer épocas e países, o que inclui filmes menos reconhecidos do cinema estadunidense, como esse Vivendo no Abandono. A própria ideia de existir um filme que trabalha quase inteiramente com o conceito de sonho soa datada para os dias de hoje, num período em que todo mundo acredita em teorias conspiratórias sobre filmes e na velha máxima do "foi todo um sonho" no cinema. A…

  • Naked

    Naked

    ★★★★★

    Naked é um filme perverso. Pra começar, logo no pôster, o protagonista Johnny está com a cabeça localizada entre um par de pernas semi-aberto, mas ele não olha para cima. Seu olhar parece distante, como se estivesse fitando o nada. Essa imagem, por si só, já resume boa parte do filme e das ideias que são exploradas em suas mais de duas horas de duração. O Johnny de Mike Leigh é um transeunte, um andarilho cuja principal função na trama…

  • The Goddess of 1967

    The Goddess of 1967

    ★★★★½

    Honestamente, você é tão cego quanto eu.

    Tem filme que te entorpece, e não tem muito como fugir disso. O que a diretora chinesa Clara Law faz no pouco comentado A Deusa de 1967 não é lá muito comum: faz digressões que perpassam gerações, usa muito tempo psicológico, e contrasta muito os espaços abertos, os planos gerais do deserto australiano, com as prisões da mente (e, também, da vida), os buracos cavernosos que abrigam memórias sombrias, ocultas; cenas de abuso…

  • Parasite

    Parasite

    ★★★★★

    O cinema, mesmo quando trata de questões sociais, que podem ser abordadas sob o prisma da discussão num campo mais abstrato e filosófico, ainda é uma arte visual, de cores e sensações, mas também verbal, de sons e palavras. Toda ideologia, querendo ou não, está a serviço de uma narrativa, de uma preocupação com a forma com a qual a história é contada. Transformar uma história em filme é como eternizar um momento através da apuração dos sentidos, e, mesmo…

  • Songs from the Second Floor

    Songs from the Second Floor

    ★★★★½

    A princípio, parece um teatro do absurdo, quase um Buñuel pós-apocalíptico, mas aos poucos se torna lúcido, imerso no próprio realismo mágico sombrio e convidativo ao mesmo tempo, com suas críticas ácidas ao estilo de vida burguês (não à toa todos os personagens são super pálidos, há poucos movimentos de câmera dentro de espaços enclausurados e a própria estética deriva de uma natureza morta), onde as relações contratuais, em que todos são escravos do sistema e de si mesmos, são…

  • Women on the Verge of a Nervous Breakdown

    Women on the Verge of a Nervous Breakdown

    ★★★

    Não lembrava muito desse e fui rever, dessa vez com a minha mãe. Se antes eu gostava muito do tom novelesco, dessa fixação pelo exagero, das cores ao figurino à caracterização dos personagens, hoje fico mais com as boas risadas e a sensação de estar vendo um passatempo divertido, mas que envelheceu um pouco mal. Tudo parece excessivamente calculado e arrumadinho, mesmo que Almodóvar queira transmitir a ideia de bagunça, desorganização, através dos desencontros dos personagens, porque o filme funciona…

  • Ad Astra

    Ad Astra

    ★★★½

    Fiquei com sensações estranhas após a sessão. Diferentemente de outros filmes com fundo espacial, o novo longa de James Gray fica em algum lugar entre o "desafiar a lógica", a paranoia e a loucura do homem que quer provar sua tese e se isola na própria instrospecção, e uma consciência, uma lucidez que impede o filme de levitar tanto quanto prometido de início. Em determinado momento, Gray abraça o lado ficcional e farseco como nunca antes, e há espaço até…

  • Waking Life

    Waking Life

    ★★★★

    I wanna see movies of my dreams

    Algumas coisas chegaram tarde na minha vida, mas sempre tive muita consciência delas, talvez mais de mim mesmo do que do mundo ao meu redor. Hoje eu tenho 23 anos e ainda me sinto como um adolescente curioso, com vontade de desbravar o mundo e consumir o maior número de informações que eu conseguir em um curto espaço de tempo, mas talvez isso passe. Waking Life é um filme propício para conhecer quando…

  • The Fisher King

    The Fisher King

    ★★★★½

    Existem filmes que me deixam indiferente e outros dos quais é impossível não se deixar influenciar ou se levar pelas sensações, para o bem ou para o mal. Esse faz parte da segunda opção. Sério, o que esse filme não é? É um híbrido maravilhoso de alegoria, crítica social, romance e drama psicológico, daqueles filmes inspirados capazes de elevar uma carreira, ainda que nem sempre receba o devido crédito.

    A primeira parte, em que conhecemos o mundo fechado e monocromático…

  • The Piano Teacher

    The Piano Teacher

    ★★★★

    This review may contain spoilers. I can handle the truth.

    Acho que muito da força simbólica do filme é contrastada com a sutileza das expressões, dos olhares dos personagens, com a forma com a qual seus rostos são enquadrados, especialmente o da personagem da Isabella Huppert, Erika. Em alguns planos, longos, acompanhamos de perto a manifestação dos sentimentos através do surgimento do menor sinal de lágrima partindo do olho, ou então de uma sobrancelha levantada. O rosto de Erika parece mais um ímã que atrai a câmera de Haneke, toda…

  • Detention

    Detention

    ★★★★

    Detention é um filme que tá sempre se auto-ironizando, que eleva à máxima potência o lema de não se levar a sério. Em determinado momento, uma das personagens cita, em uma frase específica, lá pelo desenrolar da história, que um diretor de clipes tinha arquitetado toda a narrativa do vilão para se vangloriar das imagens, dos resultados obtidos. Joseph Kahn, o diretor, ganhou fama primeiramente como diretor de videoclipes de estrelas do pop, como Lady Gaga e Taylor Swift, mas…

  • Five Easy Pieces

    Five Easy Pieces

    ★★★★

    Sei lá, esse filme mexeu tanto comigo... É um trabalho marcado por uma cena que, além de formar um momento isolado na trama, um flerte com o humor através do exagero, é um recorte superficial de um filme mais amplo. Jack Nicholson se entrega ao personagem e apresenta momentos delicados, saindo um pouco do modelo de personagens tomados pela raiva aos quais ele daria fama posteriormente. Cenas como a do piano, em que o protagonista Bobby toca Chopin para a…