Carreiras ★★★½

Priscilla Rozenbaum encarna o alter ego do Domingos tipo-teatral, neurótica, de fala atropelada, aqui intensificada pela paranoia e cocaína. O resultado é uma personagem de quem é possível nutrir empatia e aversão, um texto delicioso, ligeiro e sagaz como o melhor Domingos consegue ser (as reviravoltas finais têm um dedo de maestria).